A Psoríase e os seus tipos 

 

A psoríase pode surgir em qualquer idade, embora existam dois períodos de aparecimento mais intensos; durante a infância/início da fase adulta (psoríase de aparecimento precoce) e após os 40 anos de idade (psoríase de aparecimento tardio) (1). Existem fortes evidências de uma predisposição genética à psoríase, em particular na psoríase infantil. Estima-se que 71% dos doentes com psoríase infantil tenham um histórico familiar positivo (2).

 

Existem várias formas de psoríase e são normalmente distinguidas com base na localização e no aspecto das lesões. A presença e distribuição das placas psoriásicas é muitíssimo variável; algumas pessoas têm apenas uma única placa psoriásica numa parte específica do seu corpo, ao passo que outras sofrem de psoríase de uma maneira generalizada em todo o seu corpo.

 

A psoríase é acompanhada por comichão em 60% a 70% dos casos (3).

 

Presentemente, não existe uma cura permanente para a psoríase e as erupções são frequentemente recorrentes. No entanto, a maioria dos tratamentos está associada a uma melhoria significativa na qualidade de vida.  

 

Classificação consoante o tipo de lesão 

Alguns dermatologistas acreditam que o termo "psoríase" abrange de facto seis ou sete condições diferentes, que no futuro poderão ser distinguidas umas das outras e tratadas separadamente. O efeito dos fármacos que se encontram actualmente disponíveis (por ex.: tratamentos locais e sistémicos) destina-se à remissão das placas psoriásicas e a evitar a recidiva.

 

A psoríase é classificada de acordo com o tipo de lesão nos seguintes subgrupos:

Psoríase em placas (psoríase vulgar)

A psoríase vulgar é o termo clínico para a psoríase em placas. Vulgar significa "comum" e a psoríase vulgar é a forma mais predominante de psoríase, afectando 95% das pessoas com psoríase. As lesões são claramente demarcadas e podem estar rodeadas por um anel nítido. A psoríase pode surgir em várias partes do corpo e as lesões variam dependendo da parte do corpo afectada.

 

As placas variam em tamanho e número e podem ser finas ou espessas. O coçar resulta num aspecto de pequenas gotículas de sangue. A cor das placas pode variar em intensidade, sendo mais avermelhadas perto da extremidade de uma placa do que no centro desta.

 

As placas são normalmente simétricas na parte exterior dos braços e pernas, especialmente em ambos os cotovelos e/ou joelhos, mas qualquer parte do corpo pode ser afectada.  

 

Neste tipo de psoríase, as placas podem surgir de determinadas formas, sendo sempre nitidamente demarcadas (é fácil de ver onde começam e onde acabam). Por vezes é denominada psoríase circinada (do Latim circum), na qual as lesões têm a forma de anel. 

 

Mais informações 

 

 

Psoríase gutata

As lesões pequenas, redondas e disseminadas são típicas da psoríase em gotas ou psoríase gutata. Em vez de placas espessas e grandes, este tipo de psoríase surge na forma de pequenos pontos vermelhos escamosos que se assemelham a pequenas gotas de água borrifadas pelo corpo. A psoríase gutata é mais predominante em crianças e adultos jovens do que em adultos mais velhos e o início da doença está fortemente relacionado com infecções estreptocócicas da garganta (como a rinofaringite, a faringite ou a amigdalite) (4). Este tipo de psoríase tende a ter uma remissão espontânea após várias semanas, podendo reaparecer sob a mesma forma, ou sob a forma da clássica psoríase em placas.

 

Mais informações

 

 

Psoríase numular 

A psoríase numular caracteriza-se por placas redondas, que têm vários centímetros de diâmetro. A sua forma e tamanho são mais ou menos o de uma moeda.

 

Mais informações

 

 

Psoríase pustular

Este tipo de psoríase afecta menos de 10% dos doentes. Pode surgir como uma complicação da psoríase em placas, como resultado da toma de determinados medicamentos ou da abrupta interrupção destes. As lesões caracterizam-se por pústulas. As palmas das mãos, plantas dos pés, dedos e unhas são os mais afectados.

 

Mais informações

 

 

Psoríase eritrodérmica 

A psoríase eritrodérmica pode afectar a maior parte da superfície corporal, tornando-se a pele eritemato-escamosa (coberta por manchas vermelhas escamosas). Poderão surgir algumas manchas de pústulas.

 

Mais informações

 

 

Formas mais graves da psoríase

Algumas formas da psoríase são mais graves e particularmente mais resistentes ao tratamento. Estas são a psoríase pustular, a psoríase eritrodérmica e a artrite psoriásica. Estas formas devem receber um tratamento médico cuidadoso, em colaboração com os dermatologistas.

 

Falamos de psoríase universal quando as lesões estão presente em toda a superfície cutânea. Esta forma de psoríase é bastante rara.

 

 

 

Referências:

(1) Youn et al., J Dermatol, 1999; Henseler et al., J Am Acad Dermatol, 1985.

(2) Morris et al., Pediatr Dermatol, 2001.

(3) Sampogna, Br J Dermatol, 2004,; Wolkenstein, JEADV, 2006.

(4) Mallbris et a., J Invest Dermatol, 2005.

 

 

 

 

Novo regime de comparticipação dos medicamentos para a Psoríase!

 

        Veja aqui!

 

       
 

 

A psoríase em áreas sensíveis pode ser muito desconfortável.

 

A psoríase em áreas sensíveis é também denominada psoríase flexural inversa e psoríase intertriginosa.

 

Para mais informações clique no ícone.

 

Psoríase em zonas sensíveis

Enviar a um amigo Imprimir Voltar ao início Adicionar aos favoritos Limitação de responsabilidade
Søgaard & Co. - Mere web for pengene